28 de abr de 2008

DOR SECRETA












DOR SECRETA

Vislumbrando a hora certa

o público ávido
disfarça o brilho
arrebanha o séquito
humildemente
intencionalmente
precisa luzes na ribalta
mas, como tímida criança
espia o circo por trás da lona
alcança sutilmente a glória
por trás dos panos
aliviando sua dor secreta
aliviará?

ANA WAGNER

4 comentários:

Anônimo disse...

QUE VENHA A DOR
QUE ELA NÃO SEJA NADA

PARABÉNS ANA
CADA VEZ MAIS E SEMPRE

Eduardus Poeta

Oswaldo Antônio disse...

Oi imensa poeta Aninha,

Jamais poderia eu imagina que houvesse um rosto assim tão inverso a uma dor secreta. Mas depois vi que a dor secreta é do rosto que vê esse rosto. Aí sim, todas as dores, por mais secretas que sejam, terão sentido.

Linda poesia, mulher, lindo muso.

Enternecido, quero agradecer a suave visita que fizeste ao meu blog. Sombrio que estava, encheu-se de luz.
Pudera... Com o esplendor da uma poeta brilhante assim, só podia ficar luziadiamente colorido.

Obrigado.

bjos.w

becalete disse...

Que "dez", Héin? Parabéns pela enigmática criatividade!
Enviado por Becalete em 25/04/2008 11:23
para o texto: DOR SECRETA (T961371)

marco disse...

Realmente criativa!!! Meus Parabéns!!!
Enviado por Marco Rodrigues em 25/04/2008 11:25
para o texto: DOR SECRETA

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo