18 de ago de 2009

DESILUSÃO















DESILUSÃO
Essa dor tão sem sentido
ou com sentido demais,
não quero mais essa dor!

Pássaros cantando,
beija-flores , cheiro de mel,
teu beijo inebriante...
Onde teu corpo tão quente?

Vivo sofrendo agonia
da solidão, cama fria
Do sem motivo na vida,
a vontade de sumir.

Penso estar no mundo errado,
não entendo a hipocrisia
nem as palavras ferinas.

Quero pradarias em flor,
encantos de rouxinol,
o deitar sanguíneo do sol,
o cheiro de pão caseiro.

Quero um abrigo de colo
que nunca tive na vida
sem perguntas, sem ironias.

Me deixem chorar a vontade!
Deixem livres meus pensamentos,
me dêem alforria um instante!
Já que mais, nunca terei...

Ana Wagner

2 de ago de 2009

INQUIETUDE












INQUIETUDE
Tua inquietude maltrata
alma tão jovem
e sofrida
Enchendo de medo tua vida

Quando repousas, menino?

Quando aquietas os sonhos
nas noites estreladas?

Onde a tua paz esperada..
Onde teu amor só por amar..
Sentir emoções iluminadas...

Inesperada visita que te perturba
E foges como se fosse armadilha
Olhando sempre para trás.

Numa mistura envenenada,
Que consome tuas entranhas.

Foges para o imediato
Sem conseqüências,
sem medir teus atos.

Querendo afagos em tuas manhas,
acabar com tuas mágoas

E, no dia seguinte...nada!

Continua a rotina esperada...

Ana Wagner

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo