15 de abr de 2008

LABIRINTO









Labirinto


Lutei com fantasmas
espectros, horrores
"ninguém quer
ler nossas dores"
rompi sonhos
na ventania
o espelho mostrando
a face mórbida,
um labirinto
desencontro
da lucidez
e dos amores
desprezados
meus deuses
estão todos mortos
sou a serva dos heróis
limpando masmorras,
ouvindo correntes
arrastando
a saia na lama
implorando misericórdia
aos meus senhores
sem volta no tempo
sem moeda de troca
miserere ...misericórdia!

Ana Wagner

3 comentários:

erode disse...

Muito bom, esta verve tua demostra uma face matura, capaz de alçar vôos além do cotidiano.
Enviado por Erode Lino Leite em 16/04/2008 11:33
para o texto: LABIRINTO (T947450)

silvia disse...

alo ana ***** poema intrigante e forte. Eu gostei.****** Um beijo azul
Enviado por Silvia Regina Costa Lima em 15/04/2008 23:40
para o texto: LABIRINTO (T947450)

júlio sérgio disse...

Belo poema...já sou fã de seus textos ...abçs...julio sergio
Enviado por Marquinhos e Júlio Sérgio em 15/04/2008 22:04
para o texto: LABIRINTO (T947450)

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo