20 de abr de 2008

DEVANEIOS










DEVANEIOS
Acreditas,sou só devaneios

viajando sonhos ardentes

a cada momento te anseio.


Façamos de conta, assim é a vida,

estou à deriva num mar que se agita;

espero ansiosa o próximo porto

aventureira, buscando guarida.


Façamos de conta, brinco de fadas

infantil e um muito de ousada,

voando amarrada em fitas de seda

enquanto te sonho acordada.


Sedutora, sutil ou sedenta

sempre dizes que estou enganada.


Façamos de conta, a menina

brinca de príncipes e castelos,

velo teu sono, encantada.


Em mil nuvenzinhas, teu rosto,

brancas mãos seguram as minhas.


Façamos de conta, tudo é verdade

sabendo que é outra a eleita;

te esquivas com medo

de meu corpo ardente

mas é comigo que sempre deitas

no leito branco e aquecido

suspiras fremente desejo


Sejamos, então, assim permissivos,

aceito teus medos cheios de ternura

mas de te amar jamais me esquivo

pois já fui guerreira, conheço amargura!

Ana Wagner

6 comentários:

eder disse...

então ana, feneça de amor. bjos.
Enviado por eder ribeiro vogado em 20/04/2008 21:01
para o texto: DEVANEIOS

susana disse...

Lindissimo! Os seus devaneios devem pô-lo louco cheio de amor. Adorei o seu poema. Bjos
Enviado por SUSANA CUSTÓDIO em 20/04/2008 09:50
para o texto: DEVANEIOS (T953870)

Rick disse...

Belo texto, boa forma de sentir e pensar a vida, meus parabéns
Enviado por Rick Steindorfer em 20/04/2008 08:27
para o texto: DEVANEIOS (T953870)

Wadão disse...

Oi Aninha,

Que bom ler esse poema seu Devaneios.
Que bom ler esse poema seu
Esquecimento.
Não sei qual dos dois tem mais gosto de lágrima doce.
Nâo sei qual dois tem mais
sabor de espera.
São coisas lindas que merecem ficar
guardadas numa caixinha de madre-pérola
com enfeites de ágatas....
e perfume de incensos...
Parabéns, mulher...
bjos.w

Martha Barbosa disse...

Ana querida amiga, esse tempo é escasso, estou de partida quero nesse devaneio derradeiro em minha vida fenecer feliz em teus braços. Hoje tu me fez chorar, talvez pelas entrelinhas, aquela qu o poeta precisa vomitar. Sou feliz por ter conhecido poeta tão penetrante nos corações de nós, simples mortais.UM abraço
Aproveito para dizer que fiz postagem nova, se tiveres um tempo apareça lá vou adorar.

Martha Barbosa disse...

Ana minha poeta preferida, preciso pedir desculpas, mas sem querer apaguei seu comentário, nossa, quase morri de tristeza, se não for pedir muito pode repetir/ mil beijos e mil desculpas

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo