20 de jan de 2008

DUALIDADE










DUALIDADE


Ausência,
mal necessário
grilhões esperam
ser rompidos
vã ilusão
deixando marcas
nos olhos turvos
ardente verão
queimando pele
sufocando flores
dualidade
alma ferida.

Ana Wagner

Nenhum comentário:

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo