21 de jan de 2008

AUSÊNCIA










AUSÊNCIA


labaredas no olhar
num delírio de nadas
verde constelação

na madrugada
luar de leite
folhas de prata

agora dia
e o sol ferindo a visada
como um lírio aberto

logo mais, crepúsculo
fechando o cálice murcho
de um jardim deserto

depois a noite
o sonho iluminado
por uma profunda
e solitária estrela.

Ana Wagner

Um comentário:

martha barbosa disse...

Sua poesia é linda, atrevida com cortinas balançando ao sabor do vento. Realmente seu blog é todo mágico, adorei, vou visita-la mais vezes. Parabéns. meu blog é marthacorreaonline.blogspot.com

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo