26 de jun de 2008

FIO PRATA


















Fio Prata

Cabeça inclinada,
lágrimas
tecendo rendas
imaginárias
lançando pontes
rumo ao nada
linhas sedosas
lembram o brilho
dos finos cabelos
olhar se perde
lembranças
saudades....

Ana Wagner

12 comentários:

Benvinda disse...

Benvinda:
Aninha, belíssimo!
Poetabeijos

bemtevi

karla disse...

Karla***:
Como gosto de sua poesia Aninha
Obrigada e um belo dia para você

André Maurício disse...

André Maurício:
Que isso, acontece!!!! É que realmente adoro poemas e este pelo que li é lindo!!!! Obrigado!!!! ÓTIMA TARDE!!!! Bjs!!!!

Lenise disse...

Lenise:
Obrigada pelos elogios Aninha!
Ameiiiii o teu "fio Prata" amiga! Que sensibilidade!
Beijosss!

Carmem V. disse...

Carmen:
Lindo, lindo Aninha!
Fique com Deus.
Beijos

Karla disse...

Karla***:
Gosto muito de seus poemas Aninha!!!
Fico muito feliz quando os encontro em minha página!
beijos para você, amiga

Clara disse...

Clara¸.·☆¸.·“´☆¸:

Olá Aninha!

Belíssimo, terno, delicado,
encantadoor seu poema,
como você, amiga poeta!

Obrigada pelo carinho

Beijosssss

enise disse...

Enise:
que lindo que ficou Aninha...
amei!!!!!!!!!
beijinhossssssss
E.

nadir d`onófrio disse...

Aninha te encontrei! Comentei lá e comentárei aqui: Fios de Prata fluiram da sua alma, tecendo versos sensisiveis, cristalinos sobre a ponte que poderá te levar ao infinito. Beijos meus Nadir
Enviado por Nadir DOnofrio em 27/06/2008 00:06
para o texto: FIO PRATA (T1051928)

Edgar disse...

Aninha querida obrigado pelo seu carinho e comentário... este seu texto esta cheio de saudade, beijos
Enviado por Edgar Alejandro Quezada Zavala em 28/06/2008 15:27
para o texto: FIO PRATA (T1051928)

nadir d`onófrio disse...

Aninha

Fios de Prata
Fios de sensibilidade, extraidos da sua alma
beijos

Maga disse...

Fios de prata... exalação de um fôlego ansioso que se liberta, exaltação de um alento timidamente a escapulir de dentro.
Mas é mesmo um enorme alarido interior, um alvoroço tão grande que se fecham os olhos para que o instante não fuja para onde não mais pudesse ser encontrado. Belíssimo poema, Aninha.
Obrigada pela visita.
Maga

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo