3 de fev de 2009

SEM RIMA












SEM RIMA


No âmago de minh`alma

existe poesia
corpo estranho
que machuca
meus dedos

não a amo mais,
não a quero mais
pois está presa
em grades de espinhos
mergulhadas em dores
vivendo de meu sangue.

Quero uma rima
bem pobre
bem vulgar
de flores
e amores.

Ana Wagner
.

2 comentários:

Mario Roberto disse...

Belíssimo, como de costume, Ana, parabéns. Beijos, Mario.
Enviado por Mario Roberto Guimarães em 29/01/2009 00:30
para o texto: SEM RIMA (T1410345)

Silvia Regina disse...

alo poeta ***** como vai, aninha?**** Poema expressivo: O cansaço das dores e desencontros do amor nos levam a este estágio querendo simplificar demais... mas uma boa poeta sempre volta ao que é: sensibilidade pura. ** Um beijo azul com saudade de ti
Enviado por Silvia Regina Costa Lima em 29/01/2009 00:51
para o texto: SEM RIMA (T1410345)

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo