27 de mai de 2008

MAROLA












Marola


Ruge o mar
colossal
lavando almas
despejando sal,
em veias abertas.
Não fosse intenso,
abissal
seria ninho,
coberta.

Ana Wagner

***

7 comentários:

Oswaldo Antônio Begiato disse...

oi aninha,

obrigado pelo seu sempre presente carinho, visitando meu blog.
obrigado...
Marola é pra mim assim, aquela poesia que tem um início espantoso e um fim inesperado.
e é feita de início e fim...
precisa mais? quanto a gente pode viajar entre esse início e esse fim..
parabéns..
bjos.w

enise disse...

Enise:
que lindoooooooo......lindo lindo!!!....
um vôo delicioso....
boa quinta....
beijinhos
E.

enise disse...

Enise:
mas está lindo mesmo...ara...
vc merece minha festa...
não sei comentar poemas,
por isso vibro muito qdo ele me toca...
beijinhos
E.

Beleza disse...

♥Beleza D'Alma♥:
Ai que lindo amiga
adoreii...
bjos da B**

roberta disse...

***Roberta***:
Reverenciando aqui toda a sua sensibilidade, Aninha! Amei esse jogo de palavras! Belíssima imagem!
Que este seu dia seja pleno de luz e amor!
Beijos em seu coração!
Ro.

.: disse...

q lindo! se espichou..obrigado de coração,tenha uma boa tarde!adoro a forma como de forma simples retratas a vida com a linguagem poética!

André L. Soares disse...

Ana, parabéns pelo blog e por esse poema. Excelente. Voltarei para ler mais vezes. Um abraço!

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo