3 de jul de 2008

TERMINAL










TERMINAL


Derradeiro poema
grito, despedida
lamúria de bem-querer
tatuagem cravada no peito
saudosa marca
mocidade, sanidade
cantar do cisne
irremediável verdade
escancarada
sem mentiras, censuras
sonho vivo, graça pura
gosto de eternidade.

Ana Wagner

5 comentários:

oswaldo antônio begiato disse...

Oswaldo (wado)
para mim

mostrar detalhes 10:54 (22 minutos atrás)






embora triste, como toda poesia bela deva ser,

ficou esta com um sabor de saudades.

parabéns..

w..

cabral disse...

O vai e vem dos sentidos, parabens.
Enviado por Cabral Compositor em 03/07/2008 16:53
para o texto: TERMINAL (T1063247)

nadir d`onófrio disse...

Nadir:
TERMINAL

Aninha uma bela poesia!
Todos nós um dia teremos nosso canto do cisne...
Inevitável
Beijos meus

Oswaldo Antônio Begiato disse...

Aninha, obrigado pela tua visita. e pelos teus elogios. Mas tenha certeza de que, muito mais do que eu, você merece elogios muitos pelas coisas que escreve, como essa maravilha de Terminal. Parabéns. w...
Enviado por Oswaldo Antônio Begiato em 06/07/2008 11:55
para o texto: TERMINAL (T1063247)

12 de Julho de 2008 18:56

Oswaldo Antônio Begiato disse...

Oswaldo Antônio:
Terminal é lindíssima...
acho que a mais mulher de suas poesias..
parabéns..
w...

12 de Julho de 2008 19:58

Ao anônimo leitor!

Gostaria de fazer
um agradecimento
aos inúmeros leitores
anônimos que me visitam
diariamente. São pessoas
de lugares distantes ou
próximos que passam
por aqui diariamente.
Obrigada anônimo leitor!

Tempo